quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

Rádio Corredor: como trabalhar a seu favor - final

(Do Manual para Chefias Intermediárias, a ser lançado pela Via Dutra Publishers and Books/ Recomenda-se ler a postagem anterior sobre o assunto)

Depois que a teia de agentes for descoberta, o passo seguinte é fazê-la trabalhar a seu favor. Espalhe os boatos que lhe convém, sempre discretamente e sem todas as informações, mesmo porque a Rádio Corredor vai adicionar os elementos que darão força e credibilidade aos fatos. Isso funciona quando você precisa dar um “para-te quieto” num funcionário que está enchendo o saco, ameaçando pedir demissão se não ganhar aumento ou promoção. Mencione de passagem na conversa com um agente da Rádio Corredor que você teve contato com aquele profissional da concorrência cujo perfil se encaixa perfeitamente na vaga ocupada pelo tal funcionário. O cara vai ficar sabendo de tudo e mais um pouco. “Parece que só falta acertar o salário”, confidenciará o leva-e-traz e aí teremos um enchedor de saco a menos.

Os mesmos procedimentos podem ser adotados no caso daquele sujeito que está de olho no seu cargo. Espalhe que você tem sido procurado com freqüência por uma chefia superior, em busca de sua abalizada opinião sobre determinado tema. E acrescente, cândida e maldosamente: “Os homens não são bobos, sabem de tudo o que acontece aqui”. Ou seja, você é um elemento de confiança da direção, ao contrário daquele oportunista que está a fim de puxar o seu tapete.

Na relação com a Rádio Corredor você também não tem compromisso com a verdade, mas não abuse da sorte. A tarefa de contra-informação exige que sejam espalhadas algumas informações verdadeiras para ganhar credibilidade. Informações do tipo índices de aumento salarial, promoções previstas, viagens em perspectivas, cursos de capacitação, fatos positivos de preferência, porque a tendência destes, diferentemente dos negativos, é não serem muito ampliados. Além disso, servem como uma boa desculpa caso você seja flagrado manipulando a Rádio Corredor: “Ué, eu só estava antecipando uma informação positiva, de interesse de todos”.

No caso de uma informação relevante em que seja necessário se valer dos préstimos da Rádio, opte pelo lançamento durante uma reunião. Primeiro para você ter certeza de que a difusão da informação vai ser potencializada pelos vários agentes presentes à reunião e depois para você ter testemunhas em caso de distorção. Entretanto, pequenos boatos, santas maldades, fofocas mais ou menos interessantes, prefira transmiti-los individualmente para agentes duplos de sua confiança. O resultado final é melhor e você ainda se resguarda.

A relação com a Rádio Corredor pode se transformar ainda num exercício divertido. Espalhe coisas sem nexo e aguarde o resultado. Quando o boato retornar você vai se deliciar com a forma final que o assunto adquiriu. Exemplo: insinue que aquele colega que é um tanso de marca maior vai ser promovido para importantes funções na empresa. Depois do impacto inicial, no retorno do boato o cara vai ganhar qualidades e capacidades insuspeitadas. Não vai faltar quem diga: “O cara só estava precisando de uma oportunidade para mostrar seu valor”. E o bananão é até capaz de acreditar.

Senhores chefes, é assim que funciona. Portanto, olho vivo e ouvido apurado com a mais poderosa das rádios.