quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

Patrícia Poeta quase me deprime

Agora essa: está virando moda as mulheres não se depilarem. Um sacana que escreve num desses sites de abobrinhas sobre celebridades flagrou a tendência, citou nomes e comprovou com fotos. Lá está a minha ídala Patrícia Poeta posando para a revista Nova e exibindo aquelas belas coxas...cheias de pelos. Não é aquela penugem aloirada que, na medida certa e no lugar adequado, é capaz até de me fazer voltar à ativa e abandonar minha nova legenda – “Era bom!”. Mas o que aparece são pelos negros, gigantescos, espraiados sobre a pele morena. Parece uma teia de aranha. Quase entrei em depressão, mas logo me recuperei ao lembrar a época em que aquele corpo sarado da Patrícia, ainda sem máculas pilosas, abrilhantavam os comerciais televisivos da Academia do Parque.

O sacana do site pelo menos parece indignado com a nova moda e promete abandonar o país, assustado com a possibilidade de, na chegada do verão, termos um desfile de pernas e sovacos cabeludos pra lá e pra cá. Fecho com ele, mas recomendo que não vá para a França porque lá, ao que sabemos, o hábito da depilação ainda não chegou. Um amigo jornalista que viveu um bom tempo na Europa contava que para transar com uma namorada francesa, linda mas com uma aca broxante, alegava que era portador de uma rara doença que só permitia que fizesse sexo durante o banho. E assim conseguia minimizar os odores que emanavam daquelas axilas cobertas de pelos.

Tenho outros depoimentos sobre os efeitos da falta de higiene no desempenho sexual de homens e mulheres. Um companheiro se queixa, por exemplo, que a ex-namorada cheirava a virilha, aquela morrinha característica da região púbica masculina. Aí é duro de enfrentar. A queixa de outro é que as roupas da parceira pareciam contaminadas com naftalina, um detalhe perturbador na hora do vamos ver. Sexo é química, mas não precisa exagerar. Poderia relatar mais casos, mas o assunto é constrangedor e vou ficar por aqui.

Na real, acho mesmo que estou ficando sem inspiração para trazer ao blog um tema que beira o nojento. Nas próximas, me recupero.