domingo, 22 de junho de 2014

A Copa da interação, de novo

Os comportamentos masculinos e femininos diante das hordas de estrangeiros em Porto Alegre tem suscitado teses que favorecem cada lado, dependendo de quem a propaga.  O naipe feminino advoga que os homens nativos estão aprendendo uma lição com a presença dos visitantes com quem  precisam dividir agora a atenção das nossas prendas , deixando de ser os bam-bam-bans do pedaço. Ao que parece havia muito ressentimento  recolhido que aflorou agora. 

Mas são teses e teses nem sempre tem correspondência com a realidade  e só volto ao assunto porque fui cobrado com veemência por minha colega Lem. Ela desfraldou a bandeira das mulheres portalegrenses e tem agitado nosso ambiente de trabalho com cobranças fortes, impondo seu ponto de vista no confronto homens x mulheres ditado pelo cenário desta que chamamos de Copa da interação - ou integração plena entre visitantes e os naturais, ou melhor, as naturais.
Tudo o que sei é que os australianos são a bola da vez.  Só se for na pratica amorosa porque no futebol deixam muito a desejar.  E parece que não gostam de tomar banho...e também já foram embora.

Mas o que me intriga  mesmo nesse contencioso é a reação das moças a uma estratégia que os homens estão adotando para fazer frente ao segundo plano a que foram relegados.  Consta que  eles tem vestido camisetas de seleções visitantes e saem a azarar o sexo oposto aplicando um inglês macarrônico ou um portunhol de novela.  E tem se dado bem pelos depoimentos que colhi, inclusive entre as moçoilas.
Tem que ser muito tansa pra cair numa dessas.  Decaíram no meu reconhecimento. Aviso as navegantes que não volto mais ao assunto, não insistam.