quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Celebração

Já é possível pressentir um novo horizonte ali adiante. Esse novo tempo que se aproxima, repleto de boas expectativas, é também de ansiedade. Uma ansiedade bem-vinda, porque placidez em demasia leva ao tédio, que não é bom companheiro nas guinadas da vida.


Uma etapa se completa, deixou marcas, mas daqui a pouco tudo volta a ser como antes, ou melhor do que antes e mais um ciclo se inicia. Não dá para congelar o tempo, nem impedir a renovação. O importante é que todos saiam, no final do processo, maiores do que entraram porque isso fortalece para os embates que virão.

Não é hora de despedidas, sempre melancólicas, mas de celebração do que ficou de bom e de acreditar que a renovação é que nos move e deve nos animar para o passo adiante. E é sempre a confirmação que a única certeza nesta vida é que estamos de passagem. Sempre de passagem, porque meu lugar é em trânsito.