sábado, 26 de maio de 2012

Musas na Playboy

                      Andressa Cachoeira, nova musa de CPI

Houve um tempo em que a informação de quem seria a garota da capa da Playboy era tão esperada como o anúncio dos planos econômicos para conter a inflação .  Talvez houvesse relação de causa e efeito entre as duas situações, uma impactando fortemente no nosso bolso e o outra compensando com verdadeiros colírios para nossos olhos e provocações para  a nossa libido. Ou, no popular, éramos cravados de um lado, mas  do outro... Bem, esse negócio de um lado e de outro está me atrapalhando, mas vocês entenderam, né?!

Outro dia um bandalho me mandou por email uma verdadeira relíquia daqueles tempos: ensaios para a Playboy das musas de então   – entre outras,  Cláudia Raia, Sônia Braga, Sanda Bréa, Vera Fischer, Monique Evans, todas gatíssimas no auge, a eterna Luiza Brunet,  a agora pudica Xuxa, sem contar  as antológicas fotos de Cláudia Ohana com aquela floresta amazônica de pelos pubianos. Grandes mulheres, bons tempos, outros tempos.

Agora, mais ainda, o photoshop transforma qualquer magrela em beldade gostosona (até mesmo bichinhos da goiaba,  como a Lucélia Santos e a  Hortência) e, além disso, tenho a impressão de que o foco mudou de uns tempos para cá:  os corpinhos mais requisitados são os das brothers do BBB ou de celebridades de ocasião, como  a gandula carioca ou uma eventual musa de CPI.  Sim, musas de CPIs. É que  a corrupção não tem freio neste país e  o número de CPIs cresce quase na mesma proporção. A cada uma delas corresponde uma musa, que ganha status instantâneo  de celebridade, tanto quanto o presidente da comissão, o relator, o corruptor principal  e o mais agressivo dos inquiridores.  Do pinga-fogo da comissão aos holofotes da revista é um passo, basta ser um pouco ajeitadinha e querer faturar uns trocados, muitas vezes nem tão trocados.
A  primeira das musas de CPIs teria sido Tereza Collor, cunhada do presidente Collor – como se sabe foi o irmão do presidente e marido de Tereza quem começou a detonar o mandato de Collor. Deu no que deu. Só que Tereza não se atreveu a posar nua e nem se sabe se foi convidada.

Diferente dela, outras musas de CPI não resistiram à fama de pelo menos uma edição. E nem eram tão musas como a alagoana, se bem que mais encorpadas, como Camila Amaral eleita musa da CPI dos Correios, ela que nada tinha a ver com o caso, era somente assessora de imprensa da então senadora Ideli Salvati e figurou bem despida na edição de outubro de 2005.  Podia ser pior: imagina se convidam a Ideli e ela topa...
A classe dos jornalistas também esteve bem representada por Mônica Veloso, apresentadora de TV e namorada de Renan Calheiros nas horas vagas. Ela  acabou sendo testemunha chave contra o figurão num escândalo que “abalou a República” como estampou a Playboy de outubro de 2007, com a moça na capa, de costas, despindo a calcinha.
                                      Mônica Veloso: fotos nada republicanas

E teve ainda o caso da “quase  musa da CPI”,  Fernanda Karina Somaggio, ex-secretária de Marcos Valério,  aquele do Mensalão, que pediu R$ 2 milhões à Playboy . A revista recusou depois que um jornal mostrou-a na primeira página, ruiva contra o fundo laranja, pálida,  maquilada com mau gosto, vestindo um sutiã de oncinha e sorrindo insinuante cafonice para a câmera.  Nem o photoshop resolveria.

Agora chegamos a mais uma CPI, a do Cachoeira, e não demorou muito a surgir a escolhida para o trono de musa. O nome dela é Andressa Mendonça, 30 anos,  dona de uma loja de roupas íntimas em Goiânia  e  mulher do bicheiro Carlinhos Cachoeira. Loura, olhos claros, corpinho violão e um certo ar de ingenuidade, Andressa foi o único assunto quente na CPMI no dia do depoimento do contraventor. Em seguida surgiu a informação de que teria sido convidada para posar nua para a Playboy. Ela garantiu, porem, que não vai nos dar essa chance. É uma lástima porque a moça parece ter atributos  estéticos que merecem ser socializados.Além disso, fico  imaginando o ensaio - certamente tendo como cenário uma cachoeira - e a chamada de capa, coisas do tipo “Andressa revela tudo sobre as visitas íntimas na cela da Papuda”, ou “Cachoeira nada fala, mas Andressa mostra tudo”.  Aceitam-se sugestões. (Esse Thomas Bastos é um gênio em desviar as atenções!).

Pra falar a verdade, nem sei porque estou tratando desse assunto, eis que, pessoalmente, nunca me interessei muito pelas peladonas maravilhosas, deslumbrantesm e desejáveis  da Playboy. Sempre dei preferência para as entrevistas, as reportagens especiais e as piadas da última página...

* Sugestão de Edson Chaves, o Chavinho.