terça-feira, 30 de março de 2010

Dourado, o gênio da raça?

Que royalties do pré-sal coisa nenhuma. O que une os gaúchos no momento é a torcida para Dourado no BBB10. O pró-Dourado superou o pré-sal. O jogo de palavras é artificial, reconheço, mas verdadeiro.

Fui testemunha no sábado e domingo à noite da torcida pela permanência de Dourado na casa, precedida de campanha aberta pela votação no concorrente. Quando ficou confirmada a permanência dele e a garantia de que estará na final, juro que ouvi foguetes lá na zona sul. Outros depoimentos dão conta de que urros em uníssono foram ouvidos em vários condomínios da cidade quando o Bial anunciou a eliminação do Dicésar.

As justificativas para o movimento dos gaúchos em favor de Dourado vão do fato de ser colorado ao próprio preconceito que exteriorizou em relação a ala gay do programa. Mas, na verdade, o que está falando mais alto é o sentimento farroupilha que assumiu Dourado como ícone e bandeira num momento em que nosso amado Rio Grande parece estar com a auto-estima em baixa. Não duvidem se for organizada uma grande manifestação na Goethe em caso de vitória do “nosso” candidato.

De minha parte, mantenho a posição anterior. Não contem comigo para essas patriotadas. Pode ser rabugice, mas Dourado não me representa e está longe de ser o “gênio da raça” que, por falta de melhores opções, tentam nos impingir.